27 novembro, 2012

Pra Lu (1)

Senti sua falta hoje... Na verdade ainda sinto. Andando de lá pra cá no quarto cheio do vazio da minha amada. Toda despedida dói mesmo sabendo que no dia seguinte vê-la-ei linda e sorridente vindo em minha direção. Mas porque essa saudade tão apertada? Esse aperto no coração? Ela merece descansar, merece respirar, mas merecíamos juntos. Por um destino maluco que cisma em estragar todos os meus planos... não estamos juntos dessa vez. Mas logo chega amanhã... logo chega depois de amanhã e ela volta, como sempre linda, sorridente e cheia de carinhos, agrados e do amor que dei (e acredito que dou ainda) pra ela em uma tarde ensolarada de outubro em uma cidadezinha do interior. Um amor sem medida porque não se mede o infinito. Enquanto isso fico aqui... sozinho, rolando na cama, andando a esmo pela casa cheia da sua ausência. Te esperando, como faço todos os dias que temos que nos despedir mesmo que só até o dia seguinte.

Nenhum comentário: