16 agosto, 2010

A verdade nua e crua

Dói... dói demais. Infelizmente ainda dói um pouco a sua ausência. Sei que não deveria. Depois daquela volta do Rio de Janeiro tudo começou a ficar muito mais doído. COmo eu imaginava, isso iria acontecer. Não era problema seu, como vc tinha me dito. E sim, meu. Ao contrário do que vc tinha dito. Mais uma vez eu tinha razão. Você nunca me amou, sequer gostou de mim. E eu fui mesmo, como eu tinha dito um passatempo. Uma boa opção, mas somente opção. Quando viste que eu gostei mesmo de vc, que eu estava te amando, foi ligeira o bastante pra sair pela tangente e ainda por cima me deixar pensando nisso. Quantas noites choradas por vc. Quantas noites pensando em vc. Quantas noites com vc, achando que eu era especial. Mas claro... porque eu seria especial? Sou só mais um. Hoje soube do seu novo namoro. Não pela sua boca, pois nem pra isso vc teve a fineza de me falar. E depois vem com querido, tenho saudade e toda essa baboseira que eu deveria ter aprendido que nao passam de palavras vazias vindas da sua boca. Fiquei surpreso ao saber da novidade que eu já suspeitava. Mas fiquei mais surpreso em perceber que isso nao me causou tristeza. Em outra época eu ficaria arrasado. Mas saber que vc estava namorando foi uma notícia um tanto chocante. Eu cheguei a me perguntar. Porque? Mas a resposta estava sempre na minha cara. eu não quis ver. Vc nunca gostou de mim. Eu era apenas um cara que fazia vc se sentir bem. Te elogiava, te acarinhava, te fazia gozar como nunca. Era uma boa cama acompanhado de um bom colo. Não digo que uma página foi virada. MAs um livro foi fechado. eu passei, como já havia passado há muito na sua vida. Depois de ceninhas de ciúme sem razao que vc deu, de eu me negar à pessoas que realmente me quiseram em respeito a não te magoar... pra que tudo isso? Pra eu ser tratado como mais um. Realmente magnífico. Fecha com chave de outro sua participação em minha vida. Há muito tempo te sinto como uma estranha em minha história. Uma pessoa que dizia que tinha tanto carinho, tanto esmero, que cuidava de um amor que declaradamente eu sentia por vc, que aorava a nossa amizade... do nada ficar fria e distante? Nós não nos conhecíamos mais. E realmente hj vejo que não a conheço mesmo. Ou talvez a conheça tao bem que eu tinha medo de ver a verdade. De ver quem vc é. Nossas vidas se cruzam pois moramos ao lado um do outro. Não lhe faltará educação da minha parte, pode ter certeza. Mas infelizmente nossa história, que um dia eu acreditei que seria, ou poderia ser linda, pelo amor que eu senti por vc e pelo amor que vc disse que sentia por mim e que eu acreditei mesmo que pudesse ser meu em breve, se tornou esse filme ruim. Tantas juras pra que? Tanto sentimento bonito, em troca de que? Agora estamos mais separados que nunca. Só desejo que vc seja feliz, pois eu aprendi a não desejar o mal a ninguém. Se vc deseja o mesmo pra mim, eu sinceramente duvido. Acho que será muito difícil eu acreditar em qualquer coisa vinda de vc, ao menos durante um bom tempo. Nunca digo nunca, pois nunca é muito. Engraçado... não consigo chorar por vc, como eu já chorei. Não consigo pensar com ternura em vc, como eu já pensei. Quando penso em vc so consigo pensar em adeus.
Como diz um samba do Paulinho da Viola... "A gente esquece um samba e faz um outro samba. A gente perde um grande amor e acha um novo amor. Você morreu em meu peito e em meu peito nasceu, não um novo amor, mas essa indiferença sem saudade, sem desprezo e sem rancor." Não sei se vc terá a fineza de evitar aparecer onde eu esteja trabalhando, pois nunca teve isso, mas é a última coisa que te peço. Se é que vc é capaz de sentir ainda qualquer sentimento por mim. Enfim... Eu tenho evitado aparecer à sua presença. Infelizmente só me arrependo de duas coisas... De ter compartilhado com vc duas das coisas mais lindas que eu tenho: Meu sincero amor, que se é que vc acredita nisso, foi verdadeiro ao extremo e ter te levado à minha cidade como presente de aniversário.
Sem mais...
Adeus.

2 comentários:

Beecha Linda! disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Cristina Loureiro dos Santos disse...

Um abraço bem apertado, Bis :)
Saudades de ti.