18 agosto, 2009

Música: Sentimentos (Baden Powell)


Oi gente! Hoje coloco aqui pra vcs escutarem uma das primeiras gravações que fiz aqui em casa. Não lembro sequer o ano, mas essa música é importante demais pra mim. Não é nenhuma das mais conhecidas nem minha favorita, mas é uma composição que me emociona desde a primeira vez que a ouvi. Não tinha a partitura dela e muito menos competência pra tirar de ouvido. Daí fui na fonte. E que fonte! Um pouco antes da morte dele, eu tive a honra de conhecê-lo. E em uma dessas minhas visitas ao Rio, fui à sua casa e entre um papo e outro, falei dessa música. Eis que ele começou a relembrar e quando falou "lembrei!" começou a me ensinar. Passamos a música umas 4 vezes inteira até eu não esquecer nenhum pedacinho. Quando voltei pra casa da minha tia, fiquei tocando exaustivamente e gravei num MP3 que eu tinha (que aliás faz muita falta) pra não esquecer mais. Desde então sempre tocava ela e lembrava com muito carinho e emoção do dia que o mestre me ensinou. E tb da dedicação dele em me fazer entender cada pedacinho da música. Isso pegou muito forte. E aquela imagem do ídolo inatingível que eu tinha caiu definitivamente. Era um cara apaixonado pela música e pelo nosso instrumento, o violão. E infelizmente nosso convívio durou pouco. Uns dois anos depois, ou menos que isso, ele se foi. Foi lá encontrar com seu parceiro Vinícius de Moraes no céu. Sem uísque, porque ele já não bebia mais. Mas um cigarrinho com certeza não iria faltar. Lembro muito bem das piadas, trocadilhos, brincadeiras, histórias e conversas sérias que tivemos. Foram muitas lições, aprendizados e cafés sem açúcar. Depois uma andadinha até a rua pra eu pegar o ônibus e ir pro meu querido Irajá. Completamente bêbado de uma aula de humildade, serenidade e elegância. Aquele senhor de baixa estatura, aparência já fragilizada, óculos grandes, cabelo amarrado e, claro, sempre de branco me ensinou muita coisa, muita mesmo. Suas palavras e sua presença nunca mais saíram da minha memória e do meu coração. E seu violão jamais sairá da alma dos brasileiros. Digo mais, se realmente existe a tal alma do violão brasileiro, ela estava encarnada nesse homem.
Muito obrigado por tudo! Afinal, quem me fez ficar encantado com o som do violão pela primeira vez foi ele, quando eu tinha 3 anos e destruí um LP que pertencia ao meu pai só pra escutar o Berimbau.
Um beijo pra vc, aí no céu, meu mestre supremo BADEN POWELL!

Esse post é totalmente dedicado à Raquel. Pelo papo que tivemos agora há pouco no telefone. Beijinhos, querida.

4 comentários:

Anônimo disse...

A sua musica e linda demais. Continua assim querido. Voce vai muito longe...
Essa musica transmite toda a sua sensibilidade. Parabens da sua amiga distante mas.. que te admira muito.
De Portugal LUNA

Aiara disse...

Que emoção aprender com o mestre! A gravação tá muito linda!!!

Raquel Costa disse...

Agora que escutei , lembrei dela! Essa música transborda de beleza e a gravação está linda.
Bis , que experiência fantástica essa sua! Que você tenha outras tão boas quanto e até melhores ( será que dá?)..Beijo grande

Entrelinhas disse...

Isso pq faz tempo hein Bix.
Vc nasceu para o violão! Lindo! Amei. Parabéns!