26 novembro, 2008

Diferenças?


Ou simplesmente maneiras de viver?
Aqui em Portugal existem algumas ooisas que eu comecei a notar. Coisas muito diferentes do que estou acostumado aí no Brasil. Muitas delas eu me pergunto: porque será que não rola no Brasil? São coisas tão honestas, simples e práticas... mas enfim.
Primeira coisa que eu notei, foi no transporte. Sim, porque vim sozinho pra casa onde aluguei o quarto devido ao inconveniente da mala e ao desencontro com a Cristina no Aeroporto. No primiero ônibus até achei normal, pois era um ônibus que fazia o trajeto do Aeroporto, passando pelo centro até o Cais, onde eu ia descer. Não tem cobrador, quem pega a grana é o motorista. Até aí tem alguns ônibus assim aí tb, mas aqui não tem catraca! Você paga e firmeza. Entra e viaja. Só que aí, a coisa começou a ficar mais esquisita... No ônibus de linha normal (que demorou pra caramba aliás) entramos e pagamos, não tem catraca então de boa, mas eu percebi que tinha gente que só mostrava um cartão ao motorista e de boa! Isso me intrigou. Depois fui ver que é um sistema bem legal, mas tb complexo. Tem uma série de "pacotes" que vc paga no mês e viaja quantas vezes precisar nos ônibus, mas tem o pacote que vale só pra determinada parte, outro pra outra... essa parte eu ainda não entendi. Mas num é prático demais? Vc entra, dá um salve pro piloto ou passa seu cartão na maquininha (algo familiar com o nosso bilhete único) e já é. Fácil demais. Dá certo no Brasil? NÃÃÃÃO! Porque? Bom, quem vai ser o sujeito que vai pagar o segundo mês de pacote? Eu num sei. Talvez os honestos que somos poucos. Mas se com bilhete único, cobrador, catraca eletrônica e o diabo, em uma semana já tavam burlando o esquema, imagina assim facinho...
Outra coisa que achei esquisita, fiquei até observando pra ver se era isso mesmo. O caixa eletrônico do banco. O bagulho é no meio da rua! Tem nem uma portinha pra entrar. Vc fica ali na calçada, enfia o seu cartão no buraco (ui) e faz o que tem que fazer. Saques, depósitos, paga contas, carrega celular... é impressionante. Alguém te enche o saco? Claroque não. Tem caixas espalhados pela cidade toda! Se um tá ocupado, vc anda 20 metros e tem outro. Assim num tem fila tb. Que praticidade! Dá certo no Brasil? NÃÃÃÃO! Porque? Fala sério, quem vai ser o corajoso que vai sacar uma grana, por menor que seja assim, no meio da rua? Se na Paulista, no meio do dia, com portas paredes e tudo, quando vc saca já tem um gaiato que sabe exatamente quanto vc tirou, imagina assim?
E o trânsito??? Aliás, que trânsito? Tanto faz no meio de Lisboa quanto aqui em Almada, os motoristas param pra vc atravessar. Isso eu ainda não me acostumei mesmo. Sempre paro e eles tb. hehehe Salvo uma vez que estava na Praça do Marquês de Pombal e fiqueiobservando um semáforo lá. O vermelho pros pedestres acendia uns 10 segundos antes de dar o verde pros carros. Ficava um clima de fórmula 1 ali. Mas tudo bem... era hora do rush e já havia "trânsito" em Lisboa. Nada comparado com os nossos habituais 80 km de lentidão diários às 7 da manhã e 7 da noite.
Ah! Voltando aos transportes, quando fui de comboio (trem) de Belém pro Cais do Sodré, cheguei na plataforma e inocentemente procurei a bilheteria. Claro que num tinha né? Primeiro que não existe bloqueio, nem nada do tipo pra vc chegar na plataforma, vc pega um viaduto e já é. Daí tem a maquininha. Fui lá e comprei minha passagem até o Cais, uns 80 centavos. A maquininha me deu um papel. Beleza. Quando o trem chegou, pra começar eu tinha que apertar um botão pra entrar, ainda bem que um cidadão apertou antes de mim. Senão eu ia ficar lá esperando. Nem vi botão nenhum! E fui a viagem toda esperando que alguma coisa ou alguém viesse pegar meu bilhetinho. Poxa, nada! Nem aquele moço com chapéu engraçado que a gente vê nos filmes... fiquei desapontado. Ainda vou descobrir qual o segredo pra todo mundo pagar assim.
Agora vem a parte ruim... o atendimento nos cafés e restaurantes é péssimo! Sabe aquilo que a gente tá acostumado, do garçom chegar sorrindo, oferecer o cardápio e gentilmente te deixar escolher o prato as vezes fazendo uma piadinha pra descontrair? Esquece! Tirando um restaurante aqui perto de casa e um bar onde só tinha brasileiro atendendo, eu não vi isso em lugar nenhum. O cara chega logo perguntando "o que vc quer?" e não um simpático bom dia, boa tarde ou boa noite. Quando vc o chama ele vem com uma cara que pelamor... Parece que vc tá enchendo o saco. Fiquei super mal. E isso foi num lugar muito de bacana, porque além de tudo pra aceitar car~tão de débito aqui é uma luta. Mas parece que isso é coisa de bar e restaurante, porque nos autocarros foi tudo ótimo, nos elétricos, a mesma coisa... Até a polícia cumprimenta vc na rua.
Ah! e como é gostoso sentar-se na praça e ficar ali fazendo nada, vendo as crianças brincarem e bater um papo bacana de horas com algum senhor que eventualmente senta ao seu lado.
É... eu to adorando isso aqui.

6 comentários:

tiagogoncalves disse...

oi cara!, curti ler o teu texto.. pá ando um pouco ocupado nestes dias.. quando poder ter um tempo em que tenha a certeza de que vou estar livre aviso-te. este fim de semana devo de ir a casa... ;/

um abraço!

Tiago disse...

Tô escutado Guinga aqui em sua homenagem, lógico que é a Suíte Leopoldina. Fico pensando o quê vc tá escutando aí ?

Anônimo disse...

Opa! Qoo! Pois eh... vc ja ta entendendo pq eh dificil voltar pro BR... quando comecar a trabalhar entao f mesmo! hihihi! Aki nos onibus agente paga um preco diferente. Se vc vai pertinho paga um tanto e se vai longe paga outro tanto. E eles dao esse papelzinho. De vez em nunca alguem vem verificar o papelzinho. Ateh hoje nunca me pediram o papelzinho. Mas tb se vc nao tiver o papelzinho ou tiver pago a tarifa errada... ta ferrado pq a multa eh alta e da ateh cadeia (ok, soh um dia de cadeia mas da). Isso ja eh o suficiente pra galera nao zoar, ou pelo menos nao zoar demais. Eu ja vi estatisticas aqui. mais da maioria das pessoas ja deu trambique no busao. Mas uma ou duas vezizinhas! hihihi! Agora no Brasil imagina se quem mora mais longe pagasse mais. Denovo soh pobre ia se ferrar. Primeiro que no brazil quem tem dinheiro nao pega onibus. E a empregada domestica que trabalha na paulista mora la na capelinha. Enfim, acho otimo que no brasil nao eh esse sistema (ainda bem pra mim que moro quase em diadema hein!!). Aki qdo vc paga a passagem de trem vc recebe esse papelzinho que vem escrito a data, hora, distancia, etc. E vc soh mostra pro carinha que ta parado na saida da estacao. Agora imagina hora do rush. Milhares de pessoas passando, mostrando o papelzinho pro cara. Imagina se ele consegue chegar dia, hora, distancia, se eh mensal, semanal, escambal. Nem se tiver super poderes! huahuahuahuhaa! Mas nao eh que funciona ? Bom o Brent adorava o bilhete unico! Entao nao sei, mas a melhor coisa do transporte com certeza eh a pontualidade! Fico ateh hoje boba de ver na linha de trem todas as linhas cada minuto que falta e nao eh que chega certinho? Busao chega em ponto!! Sonho mesmo! huahauhauha! Transito vou te falar, aki nao tem, no maximo 20 min. Mas tb nao conta... 20 min de transito numa cidade de 1.5 milhao de habitantes contra 1 hora de transito numa cidade de 28 milhoes de habitantes... era pra ter mto mais transito em sp, so nao tem pq tem mto probre em sp e eles nao tem carro (como euzinha!).
Enfim qoo, passei por aki e to adorando ler seu blog! xoxo sua qoo

Anônimo disse...

opa! Quis dizer 18 milhoes! huahauha

Saulo disse...

Ô Malandro!!
Escreve pra contar pra gente como foi o show!!!

Anônimo disse...

VALEU PARCEIRO,DESEJO TODO SUCESSO DO MUNDO, ADOREI O TEXTO, E ME SENTI HONRADO PELA CITACAO DO NOSSO
AMOR AO SAMBA, FICA COM DEUS.

EMERSON URSO