24 novembro, 2008

Bota no Rego! Escola de samba de Sesimbra

Hoje foi noite de samba luso-brasileiro!
Olha que coisa loka! A convite do grande amigo e violonista Marcelo Fortuna, fui a uma final de concurso de Samba-Enredo de uma escola de samba daqui de Portugal. Numa cidade chamada Sesimbra. Como diria a Marilinha: É muita diversão!! Hehehe. Eram 4 sambas na final. Todos bem legais, viu! Os gajos sabem do que tão falando. Muitos deles já estiveram no Rio de Janeiro várias vezes, saíram no carnaval e tudo. Estudaram, escutam samba e fazem do nosso ritmo uma paixão. Ou seja, esses são sambistas de verdade! Porque, como disse João Nogueira e Paulinho Pinheiro “Ninguém faz samba só porque prefere”. E lá eu pude ver o mesmo amor e dedicação que vejo quando encontro meus parceiros Edu Batata, Emerson Urso e Marquinho Dikuã. O Marcelo me levou lá pra eu tocar vioão no carro de som deles no desfile no carnaval. Isso é muito bom! E dei sorte porque o povo lá é muito gente boa. Me deixaram super à vontade, brincamos rimos, falamos de samba, enfim... várias coisas. Ali no cantinho, não me segurei e tive que cantar um samba com eles, antes da elininatória começar. Claro que falei do meu Irajá querido. Foi bacana pacas. Presenteei os novos amigos do GRES Bota no Rego com um cd meu. Eles inclusive me deram as boas vindas no meio do negócio já me convidando a tocar com eles. E me rebatizaram! Pra eles eu sou o André do Irajá, é mole? Acho que precisarei de terapia depois pra dar conta de tantos heterônimos. Vou ali na Brasileira tomar um café com o Fernando Pessoa pra ele me dar algumas dicas.
Na volta o Marcelo veio escutando o meu disco. Gravei duas músicas dele. Uma ele já tinha escutado a outra não. Fiquei contente que ele gostou do que fiz, pois escutou duas vezes seguidas a música e fui dormir com aquela sensação do dever cumprido. Hoje é domingo e acho que vou ficar aqui sossegado. Talvez eu desça pra tomar um sol mais tarde, mas nada de estripulias. Sexta tem concerto.
Até mais!




Um comentário:

CHORA disse...

André, esperamos na volta uma visita tua sempre que quiseres, já sabes, faz da nossa humilde casa a...a tua tambem.
Um abraço amigo. CHORA