21 outubro, 2008

Polícia para quem precisa...


Se fosse igual a essa daí eu preciso sim!!!! Semaninhas atribuladas essas que passaram hein... Aqui em Sampa, terra da garoa, choveu foi problema. Num vou nem falar da pseudo-campanha da candidata "Martaxa". Que resolveu atacar e provocar a sexualidade do outro candidato "Nunkassab". Logo ela que se dizia sem preconceito, ou do lado da parte homossexual. Na boa? E se ele for? Qual o problema? É dona Marta... ficou feio demais. Daí depois a gente liga a TV e dá de cara com uma das cenas mais bizarras que eu já vi. Policiais civis e militares em confronto! Que baixaria... O mais esquisito foi ver policiais da tropa de choque "tacando pedra" pra se defender. Pra terminar de zicar tudo, a região das ppedradas e explosões foi perto de um HOSPITAL! Pois é... bloquearam acessos a um hospital. Tá, hospital particular, mas é um hospital, caramba! Veja o vídeo do Inferno de Dante aqui.
E pra arrematar a "trinca de azes" (ou direi azares?) ainda termina de uma forma totalmente pastel o resgate da menina Eloá. Caraca! Sei lá quantos dias lá com o marginal, negociando, daí deixam uma refém que tinha sido libertada voltar pra dentro do local (convenhamos que matematicamente é mais fácil tirar duas pessoas de um lugar que três, então porque catso deixaram ela entrar????). E as trapalhadas não pararam. Vei um promotor e enviou uma carta dizendo que nada aconteceria ao sequestrador (não dá nem pra falar que um lixo desse tem nome e muito menos chamar de cidadão) e realmente não aconteceu nada! Tá tb podia ter facilitado a vida do infeliz escrevendo uma cartinha em português, porque na entrevista ele confessou que não entendeu nada que tava na carta. Ok, ok... inteligência não deve ser o forte dele. Agora, já que a carta do promotor funcionou pro bandido, não seria interessante começar a escrever umas cartinhas dessas pra vítima tb? Ou então pros policiais, ou até pra Xuxa, pro Papai Noel, sei lá!
Enfim, enquanto duas polícias se atacavam na base de porretes e pedras, do outro lado da cidade um promotor garantia a integridade física de um meliante (em bom policiês) enquanto uma refém voltava por livre e expontânea vontade (vai gostar de emoção forte assim lá longe) pra um apartamento que servia de abrigo, pra depois levar um tiro na cara, ir parar no hospital e ver a melhor amiga sendo assassinada por um ciuminho de namoradinho de 15 anos! Cacete!
Será que ainda tem mais???